+55 (27) 3029-5663 | asgym.ga@gmail.com | Seg. a Sex. 08h – 11h e 14h às 20h30 – Sábado 08h às 12h

Ginástica Artística | Como montar uma série de solo?

Ginástica Artística | Como montar uma série de solo?

por | jun 15, 2021

O que é a ginástica de solo?

A ginástica de solo é uma modalidade da ginástica artística que está presente tanto na modalidade feminina quanto na masculina.

Uma sequência total de ginástica artística em competições é feita em vários aparelhos. Na competição feminina são quatro, solo, trave de equilíbrio, barras assimétricas e salto. Já na competição masculina são seis: solo, salto, barras paralelas, barra fixa, cavalo com alças e argolas.

A ginástica artística é um esporte cheio de graça e beleza, mas que requer muita força e agilidade dos atletas. No solo, não é diferente. As séries são compostas de vários elementos, como saltos, cambalhotas, parada de mão, rotações, entre outros movimentos.

Existem algumas diferenças nas séries de solo executadas por homens e por mulheres. No solo feminino, o tempo de execução é maior e são incluídas danças e música na apresentação. O solo masculino não inclui música e o tempo máximo é menor.

Na ASGYM, uma equipe de profissionais oferece suporte nas modalidades de ginástica artística tanto para fins de competições, como apenas alunos que praticam por hobby ou como atividade física.

 

Como são feitas as provas de solo da ginástica artística?

As provas da ginástica de solo são disputadas nas categorias masculina e feminina. A área de apresentação é composta por um tablado de madeira de 12m x 12m, composto de molas, espuma e coberto por carpete, rodeado por uma área de segurança de 2m. O material elástico do tablado do solo serve para impulsionar melhor o ginasta e amortecer as aterrissagens e quedas.

As séries de solo femininas têm duração máxima de 90 segundos e precisam ser acompanhadas de uma música instrumental. Já na competição de ginástica artística masculina, a série pode ter até 70 segundos, sem acompanhamento musical.

As séries de solo masculinas e femininas são bem diferentes e cada uma possui movimentos específicos. No geral, são compostas de 3 a 5 séries acrobáticas.

Para a série feminina, é preciso ter uma expressão mais artística, que envolve elementos acrobáticos, de flexibilidade, força e equilíbrio. Como é apresentada com música, requer mais graça, expressividade, sincronismo com o ritmo, gesticulações e movimentos precisos. Nas séries de solo, são feitas coreografias que misturam elementos da ginástica artística e da dança para compor uma série harmônica.

Já na modalidade masculina, as sequências são mais curtas e não possuem música, ou seja, é mais objetiva. Os ginastas fazem acrobacias e saltos ginásticos em suas séries de solo.

 

Regras das provas de solo

A ginástica de solo é composta por elementos de acrobacia e de dança, no caso do feminino.

Existem alguns elementos da ginástica artística que são obrigatórios nas séries de solo e o ginasta precisa demonstrar competência em todos. Para a categoria feminina, são a expressão artística, um giro de pelo menos 540 graus, um duplo salto e séries acrobáticas realizadas para a frente e para trás. Na categoria masculina, são obrigatórias sequências de piruetas, acrobacias e paradas de mãos na lateral do aparelho (quina do tablado).

No caso do exercício feminino, a ginasta começa com uma rápida coreografia, e depois alguns movimentos de nível fácil, como o flick-flack, que é uma pirueta com o apoio das mãos. E geralmente a ginasta termina com um movimento de nível difícil.

De maneira geral, os movimentos da ginástica artística precisam ser suaves, fluidos e bem precisos. Além disso, é preciso conexão entre o final de um exercício e outro para criar harmonia e naturalidade. Essas ligações dão, inclusive, bônus nas pontuações de competições.

As categorias masculina e feminina possuem movimentos próprios na ginástica artística. O ginasta tem que demonstrar competência em vários elementos para pontuar em competições, e eles precisam cravar todos os movimentos para não ter descontos.

Nas acrobacias da ginástica artística, são avaliados força, precisão, equilíbrio, e, no caso da feminina, expressão artística.

Durante a apresentação, os ginastas não podem ultrapassar as bordas demarcadas do tablado. A série deve ser realizada de forma contínua e ininterrupta. Desequilíbrios nas aterrissagens e aterrissagens fora da área de apresentação são as principais falhas cometidas e são motivo de desconto de pontos.

Nas competições internacionais de ginástica artística, os ginastas são julgados pelo Código de Pontos, um sistema de regras da Federação Internacional de Ginástica (FIG) que inclui os valores de pontuação de várias habilidades.

O ginasta começa com a pontuação mais alta possível, e os pontos vão sendo deduzidos de acordo com as falhas ou faltas de elementos em suas séries de solo. Quem avalia isso é uma comissão técnica de juízes.

Existem duas pontuações na ginástica de solo: a pontuação de dificuldade (PD) e a pontuação de execução (PE). A PD avalia o nível de dificuldade da série do atleta, ou seja, o quão complexas são suas acrobacias. Séries de maior nível de dificuldade, consequentemente, recebem pontuações maiores.

A PE avalia o desempenho do ginasta na realização daquela série, isto é, se a execução dos movimentos foi bem feita, em termos técnicos, e também artísticos no caso da feminina.

Alunos que participam de competições de ginástica artística podem ser orientados pelos professores da ASGYM. Nas modalidades Avançada 1/Pré-treinamento e Avançada 2/Treinamento, o objetivo é aperfeiçoar o aluno nos aparelhos com exercícios de maior complexidade.

Outras Postagens